Flora do Cerrado – conhecer para preservar – Buriti Mauritia flexuosa L.f.

Flora do Cerrado - conhecer para preservar - Buriti Mauritia flexuosa L.f.

Autor(es): Talita Delgrossi Barros José Gilberto Jardine
O Buriti (Mauritia Flexuosa) é uma espécie de palmeira de origem amazônica, também conhecida pelos nomes de buriti-do-brejo, carandá-guaçu, carandaí-guaçu, coqueiro-buriti, itá, palmeira-dos-brejos, buritizeiro, meriti, miriti, muriti, muritim, muruti.

É predominantemente encontrado na região Norte, mas também aparece com frequência nos estados de Maranhão, Piauí, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais e Mato Grosso.

Conhecido como uma das mais belas palmeiras, podendo alcançar entre 20 m e 35 m de altura, o buriti se desenvolve em terrenos baixos com grande oferta de água, como margens de rios, áreas brejosas ou permanentemente inundadas, formando aglomerados de plantas, chamados de buritizais. Para tanto, é essencial que o solo seja ácido.

A espécie chamada pelos povos indígenas de “árvore-da-vida” é totalmente aproveitada por comunidades em áreas de extração. Possui folhas em formato de leque, frutas do tipo coco e tem um crescimento muito lento, porém, apresenta grande longevidade, já que alguns tipos com mais de 10 m podem ter entre 100 e 400 anos.

As folhas do buriti (20 a 30 unidades por planta) podem ter de 3 m a 5 m de comprimento por 2 m a 3 m de largura, formando uma copa arredondada, e são geralmente coletadas para coberturas de casas rústicas e utilização em artesanato.

Os cocos são cobertos por escamas de coloração castanho-avermelhada, de 4 cm a 7 cm de comprimento, 3 cm a 5 cm de diâmetro, com peso que varia de 25 g a 40 g cada um, constituídos de semente oval dura e amêndoa comestível de cor amarelo-alaranjada, sabor agridoce e consistência gordurosa.
_________


 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.